Famílias em Portugal desesperam por notícias dos familiares que estão

Portugueses desesperam por notícias dos familiares nas Caraíbas


Famílias em Portugal desesperam por notícias dos familiares que estão nas ilhas caribenhas afetadas pelo furacão Irma.

A parte francesa da ilha franco-holandesa Saint-Martin ficou "95% destruída" com a passagem do Irma, disse na quarta-feira à noite o presidente do conselho territorial local, Daniel Gibbs.

Em Saint-Martin, na parte francesa, trabalham e residem milhares de portugueses. A ilha ficou sem eletricidade, água ou telecomunicações.

Do outro lado do canal, na ilha de Saint Barthélémy, há também muitos portugueses. Em Portugal, há muitas famílias que procuram informações sobre os familiares retidos nesta ilha. Caso de Christina Silva, de S. Mamede de Infesta, que está sem notícias dos filhos desde terça-feira. "É um desespero", disse, esta quinta-feira de manhã ao JN.

Mata Teixeira, de Castelo de Paiva, está sem notícias da irmã, do cunhado e do sobrinho. "Estou com muito medo, só vejo destruição nas imagens", disse ao JN.

Até ao momento, não foi possível contactar uma mulher portuguesa que quarta-feira falou ao JN, horas antes da chegada do furacão. Catarina Leite está em Saint Barthélémy há quatro anos.

O JN tentou contactar o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, mas até ao momento ainda não foi possível obter informações sobre os portugueses que residem naquela região.

O furacão Irma regista ventos sustentáveis de 295 quilómetros por hora e mantém-se como um ciclone de categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson.

O Irma atingiu as Caraíbas, deixando a ilha de Barbuda "totalmente devastada". O furacão deixou para trás a ilha de Porto Rico e ameaça agora o noroeste da República Dominicana com ventos até 290 quilómetros por hora, segundo o Centro Nacional de Furacões de Estados Unidos.

Source: jn.pt